Meu bebê troca o dia pela noite, o que fazer?

Sabe quando você está no quinto sono e, de repente, ouve um chorinho vindo do berço? Ou pior, quando você nem mesmo tem a chance de tirar uma soneca à noite porque o pequeno não prega os olhinhos? Pois é, assim é a noite de papais e mamães quando o bebê troca o dia pela noite, uma situação bem comum, principalmente nos primeiros meses de vida.

Diferentemente dos adultos, os recém-nascidos não conseguem diferenciar o dia da noite. Afinal, na barriga essa diferença não é muito bem definida e os pequenos conseguem perceber somente algumas alterações de sons, luminosidade e movimentos da mamãe. A distinção entre dia e noite ocorre apenas aos dois anos de idade, quando os bebês passam a distinguir bem os dois períodos.

Isso quer dizer que é só nessa idade que o bebê vai dormir a noite inteirinha? Não, papais e mamães podem ficar tranquilos! A partir dos dois meses de vida, o relógio biológico do pequeno começa a se adequar à rotina da mamãe, de forma parecida com a qual ela agia durante a gravidez. Assim, ele passa a ficar mais tempo acordado durante o dia e mais tempo dormindo à noite.

O que fazer quando o bebê troca o dia pela noite

Como vimos, é super normal que o bebê troque o dia pela noite, já que leva um tempinho para que ele se acostume a essa nova rotina, diferente daquela que ele vivia na barriga da mamãe. Nesse processo de adaptação, a família pode contribuir para que o pequeno comece a ter mais regularidade no sono a partir de hábitos saudáveis.

Durante o dia, por exemplo, é importante manter as características desse período. Ou seja, você não precisa se preocupar em fazer o máximo de silêncio e em deixar o ambiente escuro, como se fosse noite. Quando a família faz isso, o bebê tem mais dificuldade em diferenciar o dia da noite e, aí, é bem provável que ele troque os dois turnos.

Por isso, durante o dia mantenha a luminosidade e o nível de som normais no espaço em que o bebê estiver. Estimule-o com brincadeiras, canções e historinhas para que ele permaneça acordado. Porém, se ele dormir por um tempinho, não se preocupe em acordá-lo. O sono é essencial para o aprendizado, para a saúde e para o desenvolvimento saudável do pequeno.

Agora, se ele dorme muito durante o dia, você pode acordá-lo meia hora antes do fim de cada soneca. Lembre-se de fazer isso com delicadeza para não assustá-lo ou deixá-lo irritado. E depois de acordar, é preciso estimular o bebê para que ele não volte a dormir.

Já à noite, é importante criar uma rotina para que o bebê se habitue à hora de dormir. Se todos os dias você der um banho, amamentá-lo e cantar uma canção de ninar no mesmo horário, ele vai se acostumar a esse hábito e começar a diferenciar o dia e a noite. O ideal é que o pequeno comece a dormir por volta das 20 horas.

Nesse momento, é fundamental diminuir os ruídos e apagar as luzes. Aliás, a melatonina, conhecida como hormônio do sono, está diretamente ligada à diminuição da luminosidade. Por isso, mantenha o quarto escuro e evite atividades muito estimulantes.

Também é importante não acordar o bebê para amamentá-lo durante a noite. Isso interrompe o sono do pequeno e, afinal, se ele estiver com fome, vai acabar acordando por conta própria. Além disso, caso ele acorde à noite, mas não comece a chorar, não corra para pegá-lo. Deixe-o no berço até que volte a dormir sozinho.

Fique de olho em distúrbios de sono e em problemas respiratórios

É raro que bebês tenham distúrbios de sono, mas vale prestar atenção caso ele não se acostume a dormir à noite. A parassonia, por exemplo, ocorre quando a criança tem um sono agitado e acaba acordando confusa, algumas vezes até sentando ou ficando em pé no berço, quando já é maiorzinha. Neste caso, o conselho é interferir o mínimo possível para que o bebê volte a dormir naturalmente.

A insônia também pode ocorrer, principalmente pela falta de hábitos saudáveis, como os que citamos, em relação ao sono. Aqui, o indicado é estimular uma rotina para que o pequeno possa entender a hora correta de dormir.

Por fim, também vale ficar de olho em problemas respiratórios, como a adenoide e a apneia. Nos dois casos, o bebê tem dificuldade em respirar pela boca, o que acaba interferindo na qualidade do sono. Se isso estiver acontecendo, é necessário consultar um especialista.

E então, gostou das nossas dicas? Se o seu bebê troca o dia pela noite ou se você já passou por essa fase, conte as suas experiências! Nós vamos adorar saber mais sobre o seu pequeno e como você resgatou as suas noites de sono tranquilas! Ah, e se você quiser sugerir um novo tema para o nosso blog, é só deixar um comentário!

Compartilhe

Deixe seu comentário

Este campo é obrigatório

Este campo é obrigatório

O endereço de e-mail é inválido

Cadastre-se para receber dicas e novidades da Nigambi diretamente no seu e-mail.