Saiba o que fazer para amenizar a cólica do bebê

O bebê já mamou, está trocado e limpinho, com uma roupinha confortável e, mesmo assim, não para de chorar? Pode ser cólica! Essa dor é muito comum nos pequenos e costuma ser a causa daquele chorinho estridente e sofrido que não cessa até que a cólica do bebê tenha fim.

Mas antes de falarmos sobre o que você, papai ou mamãe, pode fazer para acalmar o recém-nascido e amenizar a dor, é necessário ressaltar que a cólica é uma condição normal e que ocorre com a maioria dos bebês. Isso quer dizer que, geralmente, não há nada de errado com a saúde do seu pequeno.

Apesar de incômoda, a cólica é muito frequente em recém-nascidos com idade entre duas semanas e três meses. Ela ocorre porque, neste período, a flora intestinal ainda não está formada e o sistema digestivo do bebê está se acostumando a digerir o leite, seja materno, seja fórmula láctea. Em resumo, o corpo precisa aprender o que fazer com o alimento que recebe e como lidar com os gases.

É por isso que, até que tudo esteja certinho no sistema digestivo do pequeno, é possível que você ainda ouça aquele choro bem característico da cólica. Inclusive, já falamos sobre este assunto em outro texto aqui do blog, que explica os tipos de choro do bebê. A choradeira da cólica é aguda e duradoura e tem um som que imita um “ear”, diferente dos outros choros.

Além disso, o bebê costuma ficar visivelmente irritado, enrugando a testa, contorcendo as perninhas e fechando os punhos. Também é comum que solte alguns gases e fique com o rosto vermelhinho. Assim, quando esses sinais se apresentam e você já fez de tudo para o pequeno parar de chorar e não teve sucesso, é muito provável que a causa do choro seja mesmo a cólica.

Como amenizar a cólica do bebê

Apesar de ser uma dor normal, a cólica do bebê pode trazer muito incômodo. Por isso, quando ela aparecer, papais e mamães podem ajudar a amenizá-la com muito carinho, conforto e algumas medidas simples para mandar a dor embora logo.

Uma dica é manter o bebê deitado e massagear a barriguinha dele com a ajuda de um óleo ou creme hidratante indicado para a idade. O ideal é fazer movimentos circulares na área abaixo do umbigo, aplicando uma leve pressão sobre o abdômen, a fim de expulsar os gases que trazem a dor.

Você também pode deitar o pequeno de bruços e massagear as suas costas, também com o auxílio de um óleo ou hidratante. Além disso, com o bebê deitado de barriga pra cima, você pode empurrar as perninhas dele em direção ao abdômen, fazendo o movimento da bicicleta. Essas duas ações também ajudam a eliminar os gases e trazem mais conforto para o recém-nascido.

Outra medida que pode ajudar é aquecer o abdômen do bebê com uma bolsa de água quente ou um pano passado a ferro. É preciso ter atenção para não encostar o material aquecido diretamente na pele da criança e nem esquentá-lo demais. Embalar o pequeno nos braços é outra ação que oferece conforto, ainda mais quando há contato entre a pele do bebê e do papai ou da mamãe.

Um banho morno e duradouro também pode ajudar a acalmá-lo e é importante que ele fique em um ambiente tranquilo, sem muita iluminação e barulho. Além disso, é fundamental que os pais estejam calmos também, pois o nervosismo pode acabar agravando o incômodo da criança.

Quando procurar o pediatra

A cólica, como vimos, é uma condição normal e frequente em recém-nascidos e, por isso, não é necessário consultar o pediatra sempre que o bebê apresentar essa dor. No entanto, caso você tenha tentado todas as medidas que citamos aqui ou o período das cólicas tenha ultrapassado os primeiros três meses de vida, é importante consultar um médico para descartar outras possibilidades.

Vale lembrar que febre, vômito, entre outros sintomas, não estão relacionados à cólica. Por isso, se o bebê apresentar esses sinais, é importante procurar ajuda médica. Os medicamentos não devem ser utilizados a não ser que haja prescrição pelo especialista. O costume antigo de oferecer chá aos pequenos também não é indicado, pois o líquido pode influenciar no ganho de peso do bebê e causar outros problemas, como diarreia e vômito.

Esperamos que este artigo tenha sido útil para você e que, a partir de agora, seja mais fácil lidar com a cólica do bebê. Ah, temos ainda mais uma dica: este vídeo, do canal Guia do Bebê, que demonstra alguns procedimentos para realizar com o bebê nos momentos de crise de cólica.

Caso você tenha ficado com alguma dúvida, deixe seu comentário aqui embaixo! Além disso, você também pode compartilhar as suas experiências em relação a esse assunto que deixa muitos papais e mamães de cabelo em pé, mas que, como você viu, é apenas uma fase. Ah, e se você conhece uma família que está passando por essa etapa, envie este texto, com certeza vai ajudá-la.

Compartilhe